Outra carta para o bom velhinho

E toda a nostalgia de um natal feliz…

As coisas por aqui parecem frias e sem sentido. Estou me cansando das mesmas cortinas sujas, da janela fechada pela manhã, do mesmo gosto de café amargo que incomoda o meu estômago toda vez que me atrevo a toma-lo.
Minha rotina é um céu nublado e sem cor! Com várias nuvens se formando ao redor. Posso até sentir o gosto da chuva me molhando por inteiro…

Já cansei de atribuir essa culpa nos 2 anos de pandemia. no final das contas, só não estou feliz comigo mesmo…
Tem dias que eu quero me entregar ao limbo da existência, ser esquecido e ficar por lá.
Tem semanas quem nem o fundo do poço parece ser o suficiente para me aguentar.
De forma alguma, quero me entregar ao vazio. Mas às vezes fica difícil…
Quero dormir e acordar só no próximo natal. Quem sabe, as coisas não estejam melhores e o preço da gasolina tenha baixado até lá.

São nessas horas escuras que a nostalgia da infância bate mais alto. Como me arrependo de um dia já ter desejado ser adulto!
Sinto saudades do meu universo mágico, das festas de fim de ano que eram ( e ainda são) recheadas de esperança. Eu adorava quando chegava essa época do ano. Quando minha mãe enfeitava a árvore de natal, e o ambiente da casa ficava mais colorido e vivo.
Outra coisa que amava no natal era a trilha sonora, aqueles CDs de regravações das músicas natalinas eram um máximo!
Sinto falta até das novenas na casa dos vizinhos. Do pequeno presépio que tínhamos. Dos filmes que passavam na sessão da tarde – “esqueceram de mim” e “O Grinch” sempre serão clássicos em minha memória.

Já perdi as contas de quantas vezes quis conhecer o polo norte e a fábrica de presentes.
Nem sempre me comportava bem o ano todo, mas os brinquedos novos estavam lá para fazer a minha alegria!
O natal sem dúvidas é uma época marcante para grande parte das pessoas. E são nessas lembranças mágicas que me apego quando estou triste…
Óbvio que as coisas não são mais as mesmas faz uns anos… Porém, nunca me esqueço daquela carta que você escreveu pro papai Noel pedindo um Playstation 2, logo depois de assistir “O expresso polar”

E se eu fosse escrever outra carta para o bom velhinho? Eu não pediria nenhum brinquedo ou videogame… Eu pediria para ser criança, Só pra poder reviver esses momentos outra vez…

A identidade secreta

Tirar a máscara sempre esteve em segundo plano…

A minha mente é um labirinto. Um caminho totalmente escuro até chegar em meu coração.
Talvez não mude em nada na nossa relação, mas escrever essas cartas é um tipo de libertação. Se não posso jogar limpo por timidez, insegurança ou medo da rejeição… ao menos aqui posso ser eu sem medo!

Tem dias que a inspiração vem e logo em seguida rabisco rimas íntimas demais para serem compartilhadas com alguém. Tem dias que a autoestima está lá no fundo do poço, e estou com preguiça de sair aos resgate.
Normalmente, evito de falar sobre isso com as pessoas porque sempre penso que os problemas dos outros são maiores que os meus…
Talvez essa seja a origem das minhas inseguranças: Me colocar em segundo plano!
Nunca gostei de holofotes! Seja para fazer um trabalho de faculdade, ou até mesmo confessar um sentimento pra alguém. Gosto de fazer as coisas nos bastidores. Sem alarde. Sem gente em cima querendo registar tal momento…

Só que com o passsr dos anos, o lance do não protagonismo acabou virando medo! Acabou virando uma fobia social!
Recentemente, venho trazendo esses temas para a minhas seções de terapia, e com isso, estou começando a entender como meu subconsciente trabalha.
A psicóloga sempre fala que as minhas crises de ansiedade são pscologicas, e que elas vão desaparecer assim que começasse a me posicionar mais!
Droga! Logo eu que sempre gostei de ficar na sombra, vou ter que me expor ao sol?
Complicado né… Mas acho que ela está certa sobre isso: assumir o controle da própria vida pode ser difícil e arriscado no começo, mas também poderá render muitos frutos em um futuro próximo…

Não posso esconder mais quem sou! Usar identidade secreta, pode ser divertido no mundo dos quadrinhos mas na vida real é um saco!
Talvez me abrindo assim, possa descobrir outras partes da minha personalidade que estavam escondidas antes! Posso ser engraçado, irônico, estiloso ou romântico! (Quem sabe até comece a gostar de flores)
Pode ser que amanhã ou depois me arrependa de ter aberto os meus sentimentos pra alguém que não merecia tanto… Mas pensando por outro lado, a vida da gente é tão curta, e eu não quero ficar pensando mais no “E se?”
Todos precisam dar o primeiro passo… E esse é o meu primeiro passo!!

escuro até chegar em meu coração.Talvez não mude em nada na nossa relação, mas escrever essas cartas é um tipo de libertação. Se não posso jogar limpo por timidez, insegurança ou medo da rejeição… ao menos aqui posso ser eu sem medo!
Tem dias que a inspiração vem e logo em seguida rabisco rimas íntimas demais para serem compartilhadas com alguém. Tem dias que a autoestima está lá no fundo do poço, e estou com preguiça de sair aos resgate.Normalmente, evito de falar sobre isso com as pessoas porque sempre penso que os problemas dos outros são maiores que os meus…Talvez essa seja a origem das minhas inseguranças: Me colocar em segundo plano!Nunca gostei de holofotes! Seja para fazer um trabalho de faculdade, ou até mesmo confessar um sentimento pra alguém. Gosto de fazer as coisas nos bastidores. Sem alarde. Sem gente em cima querendo registar tal momento…
Só que com o passsr dos anos, o lance do não protagonismo acabou virando medo! Acabou virando uma fobia social!Recentemente, venho trazendo esses temas para a minhas seções de terapia, e com isso, estou começando a entender como meu subconsciente trabalha. A psicóloga sempre fala que as minhas crises de ansiedade são pscologicas, e que elas vão desaparecer assim que começasse a me posicionar mais!Droga! Logo eu que sempre gostei de ficar na sombra, vou ter que me expor ao sol?Complicado né… Mas acho que ela está certa sobre isso: assumir o controle da própria vida pode ser difícil e arriscado no começo, mas também poderá render muitos frutos em um futuro próximo…
Não posso esconder mais quem sou! Usar identidade secreta, pode ser divertido no mundo dos quadrinhos mas na vida real é um saco!Talvez me abrindo assim, possa descobrir outras partes da minha personalidade que estavam escondidas antes! Posso ser engraçado, irônico, estiloso ou romântico! (Quem sabe até comece a gostar de flores)Pode ser que amanhã ou depois me arrependa de ter aberto os meus sentimentos pra alguém que não merecia tanto… Mas pensando por outro lado, a vida da gente é tão curta, e eu não quero ficar pensando mais no “E se?”Todos precisam dar o primeiro passo… E esse é o meu primeiro passo!!

Homem na lua (Poesia)

Alguns anos na terra e minha mente segue em alerta
Com esse jogo de aparências,
Com esse jogo de conveniência
Humanos fazem de tudo para garantir a sobrevivência.

Me jogue no meio da avenida
Não vou seguir mais a sua pista
Cansado de ser isca,
Montei armadilha
Minha versão definitiva
Não vou ser tratado como vítima!

Eles dizem que falta consistência no poema
Mas só estou aqui pela experiência
E quem sabe, tirar algo positivo olhando pra essa vista
Lobo solitário não é a sina
Quero ser feliz quando chegar aos 30…

Eu mudei muito depois daquele dia
Apesar dos problemas, a gente ainda se divertia
Gostaria de ter tido seus conselhos na adolescência
Confesso que ainda me falta experiência
E sei que posso não cumprir o currículo de exigência.

Já tive chance de amar alguém
Mas preferi ficar sem ninguém
Escapei de ser o meu próprio refém.
Às vezes penso que amar é um teatro
Que existem mais mentiras do que fatos
Por isso sumi sem deixar rastros.

Eu era uma criança que queria o seu próprio espaço
Sempre vi o mundo de cabeça pra baixo
Nunca fui da rua
Meu lugar é na lua!
E as cartas que você deixou…
Acabei lendo ao contrário.

Continuar lendo “Homem na lua (Poesia)”
%d blogueiros gostam disto: