Canceriano (Poesia)

Conflitos internos, caminhando pelo escuro Enfrentando o inferno a cada verso, é assim que me regenero Nada passa ileso, tudo tem seu peso Foque no centro, foque no que é sincero. Não sinto falta dela mas estou sozinho Consumido, cheio de vazio, cheio do vazio. Os horizontes vão se abrir? A galera vai sorrir? CampoContinuar lendo “Canceriano (Poesia)”

Ano zero (Poesia)

Estive sonhando acordado, o peito pesado Pensando em coisas efêmeras, a enfermaria me espera. Recuperando dos traumas, frio na calada Cara fechada, com a mente transtornada… Eles queriam mais uma poesia de amor, o mundo está tão confuso que só consigo ouvir choro e dor As trevas em mim já passaram, espíritos baixos lamentaram CabeçaContinuar lendo “Ano zero (Poesia)”