Big Ben (Poesia)

Labirinto indecifrável, fora do imediato
Volto após um hiato, nunca paro.
Coisas inesperadas, a janela está fechada
Se tudo fosse fácil perderia a graça.

Ao menos faça, não está perdendo nada
Se a caneta trava, então, refaça
Consciência fraca, eterna ressaca
Acredite, essa esperança não é falsa.

Andando pela calçada esburacada, fugindo de enrascada
A porta pro seu coração tá trancada, sinto cheiro de roubada
Garota, te admiro de longe porque não posso ultrapassar a linha
Sentimentos momentâneos, vou deixar ir…

Querida paixão, talvez te encontre por aí
Temos o momento certo para fluir
Deixe-me viajar nos pensamentos para sentir
Sou poeta! Jamais serei santo, sinto vontade de te amar em todo canto…

A pressa sempre será inimiga da perfeição, aí que entra a contradição
Te procuro em multidões, em uma fração de segundos você escapa das minhas mãos.
Me acostumei com o não e agora tenho medo do sim
Esqueci meu relógio em casa, descobrimos porque o tempo parou…

Se tudo fosse uma ilusão ninguém estaria vivo
Se tudo fosse verdade ninguém estaria morto
Corpos paralisados na torre central de Londres
Esperando a magia acontecer, já deu meia noite…

Veja também:

Chamados

❤️

Licença Creative Commons
Big Ben de Kauê Olah Lopes está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-SemDerivações 4.0 Internacional.

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

%d blogueiros gostam disto: