Borboleta azul (Poesia)

O meu erro é sempre buscar algum significado
Tenho que manter o cadeado fechado
Sentimento disfarçado, camaleão mutável
Ser personificado, ato de assassinato…

Buscando a paz onde eles jamais encontraram
As sombras constantemente circulavam e eu ficava extasiado
Mas, agora estou no controle, seres malignos não me iludem
Estou mudando de rota, antes que a linha do tempo se desfaça.

Primeiro o respeito, depois o amor
Esses manos fazem tudo pelo dinheiro, mortos por dentro
Sem alma, sem carisma, com a caneta fraca
O jogo perdeu a graça, joguei pedra na vidraça.

Hoje entendo minhas emoções, conclusões precipitadas fazem parte da caminhada
Estou cansado de andar sem ela do lado, vejo cada cenário
Preciso respeitar o meu tempo, como um verão passageiro
O mensageiro disse que ainda não estou preparando…

Os pecados estão cada vez mais distantes, sorrio a cada instante
Só quero distância, fui infantil quando criei a medusa
Dou adeus aos meus versos escritos com raiva
Essa merda não me trouxe nada!

Regenerando as mágoas, apagando aquelas cartas
Vulcão joga a lava pra fora, alguma hora tinha que ir embora
Alguma hora vou transcender e finalmente entender
O passado nunca vai poder fazer parte do meu presente…

Dias passam, rimas passam
Ajudo aquele menino fraco.
Amores efêmeros nos fazem refém de nós mesmos
Obrigado por essa nova fase, borboleta azul me traga sorte.

Veja também:

inteligência artificial

❤️

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: