Cartas não escritas

Linhas se confundem no meu codinome
Estou tão longe, não espero que ela se importe
Minha vida e minha morte são a mesma coisa
Peças de um quebra cabeça, não peguei a melhor onda
Nunca dei corda pra algumas coisas
Os sentimentos são só seus, ninguém tem a obrigação de te fazer feliz
Tudo por um tris, rabisquei com o meu melhor giz…

Vejo o mundo ficando escuro, a rotina me cansando
Todos delirando, o fim se aproximando
Noites frias chegando, sem perspectiva de mudança
Alguém me dê a esperança de volta?
Preciso mudar de rota, comprar uma roupa nova
Foda-se a fama, só quero a grana.
Vivo numa constante busca, talvez arrisque tudo na próxima curva
Debaixo da água não existe mais nada…

Sua imagem se afastando, a poesia me matando
Meus manos curtindo e as paredes ruindo
Palavras fluindo, estou sempre fugindo
Sol se abrindo, tenho que voltar ao início.
Perseguido por ser fugitivo, ainda acredito no objetivo
Faço mais pelo coletivo, e é por isso que sou introspectivo
Escrever se tornou vício, repito o mesmo ciclo.

Nada apaga os erros cometidos, recuperei alguns princípios
Eu vejo você nas estrelas, relembro das chamadas perdidas
Será que devo retroceder quando o dia amanhecer?
Cartas não escritas permanecem vivas
Ela jamais me amaria de novo. Querida, eu morro todo o dia…

Obrigado pela leitura!❤


Cartas não escritas de Kauê Olah Lopes está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: