Transparente rubi

Perdi o controle desde o início, isso é apenas vício
Trinco o meu peito, prometo continuar sem ressentimento
Estou em outro momento. Desculpas causadas pelo contratempo
Vamos voar, aperte os cintos…

Não confie nos contos, ninguém é mais criança aqui
A sombra dela sumiu logo ali, transparente rubi.
Parei de fingir, foda-se se eu menti
Sofri as consequências sozinho e talvez morra sozinho…

Sem nenhum vizinho, vinho tinto
Outro planeta, outro sistema
Lembrei de você hoje de manhã
Respiro fundo e deixo a lágrima cair…

Quebrei paradigmas, o amor seguiu por outra avenida
A morte era sempre minha amiga, brincamos de trava língua
Seja bem vinda e jamais traga sua filha
Sou jovem demais pra morrer, pelo visto não vai dá pra correr.

O diabo me ama, alá me venera
Fui eu que pintei essa imagem desonesta
Sem brecha, veja quem me testa
Amor, tô indo pro espaço tipo tesla…

Com plena consciência, fiz essa merda com eficiência
Deixe as cinzas espalhadas, dez mil pulseiras cravejadas
Profecia lançada, ainda beijo a boca dessa safada
Profecia amaldiçoada, só morro usando Prada.

Não confie no conto de fadas, será que me arrependi de ter queimado sua carta?
Essa é minha nova casa, A multidão se encontra do lado de fora
Agora é contigo, volte ao início
decida se assume o risco ou, se sou seu disco riscado preferido…

Poema originalmente postado no portal Fazia poesia 💛

Obrigado pela leitura! ❤️

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: