Éden (Poesia)

Entre a chegada e a partida,
Entre a ira e a calmaria
Entre lágrimas e sorrisos
Entre a verdade e meus sonhos
A insônia me incomoda em qualquer cômodo.

Não me vejo tão jovem, os anjos sempre fogem
Demônios nunca dormem, eles me trouxeram pra longe.
Vivo numa realidade distante, minha mente é um turbilhão constante
E sem chance de você lapidar esse diamante.

Por que o interrogatório? Não sou nenhum criminoso
Me poupe do seu discurso honroso, não percebe que sou teimoso?
Faz tempo que perdi minha bondade, algumas coisas já não me trazem saudade
Estou sempre mudando como um cigano
Jamais me veja como um anjo, minha alma ficou presa no purgatório.

Eu sou o dia e a noite
Eu sou aquele forasteiro distante
Eu sou aquele poeta sem amante
Navio sem tripulante,
Fiz o tempo parar por alguns instantes
Eu sou aquela carta descartada do seu baralho…

Não sei se serei o mesmo, foda-se essa história de romance
Bebi o veneno de Shakespeare e as luzes dão a nuance
Foda-se aquele verso, traga outra personalidade
Escutando Lana del rey chapado e as polaróids estão espalhadas pelo quarto…

Vou ascender a chama, traga o seu isqueiro
O mundo entrando em colapso, me acorde só depois das 4
O cofre continua trancado e o que importa de verdade é o dinheiro
Revelando pecados através do pseudônimo
Nunca subi as escadas do paraíso.
O amor tem um preço alto e eu não estou disposto a pagar
Sou underground demais pro seu mainstrean
Baby, a maçã foi mordida e nós não moramos mais no Éden.

Outras redes:

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: