Velho eu

Ano novo, velho eu
Novo presidente, velha corrupção
Lamas aqui, fogos no céu
Estrela cadente, algum pedido pra Deus…

Com a mesma fé de Nietzsche, mente brilhante de da Vinci
Monalisa no quadro, anjos me resgatam
Pseudônimo, Álvaro de Campos
Entre tantos anos, ainda me sinto velho.

Em um instante mudamos, todo ano esse caos mundano
Podem me chamar de Stephen Hawking, irônico ser Santos Dumont
Pedi perdão depois do sermão e em seguida vem: “Quem sou?”
Alma buscando inspiração, desesperada por salvação.

Olhos longe do alcance da compreensão, saía dessa prisão
Vá para imensidão, você tem tudo na imaginação
Renasço a cada canção, dores pra quem já amou
Diamante pra quem lapidou, palmas pra quem encorajou.

É muito engraçado, via o pessimismo no olhar dela
Hoje, vejo esse pessimismo no homem hipócrita que julgou ela
Vida louca, e o mundo gira
Vida louca, somos crianças ainda!

Substância pra me enlouquecer, Entre Deuses e medusas
Nada na minha célula, nada na minha cédula
Distante do sonho, tão perto do perigo
Fique parado ou se jogue no abismo, fique parado e se jogue no seu Abismo!

Sem essa de martírio, piada de signo
Procure em baixo das cobertas aquela estrela, aquela sensação que rasteja
Peça o que deseja, mar de incertezas
Enxergue com clareza pra que seus erros desapareça.

Demônios psíquicos, cadeado escondido
Sobrevida pro vício, poção pro medo
Estou sem tempo, estou morrendo
Estou morrendo, tô ficando sozinho…

Olhos longe do alcance da compreensão, saía dessa prisão
Vá para imensidão, você tem tudo na imaginação
Renasço a cada canção, dores pra quem já amou
Diamante pra quem lapidou, palmas pra quem encorajou.

Em um instante mudamos, todo ano esse caos mundano
Podem me chamar de Stephen Hawking, irônico ser Santos Dumont
Pedi perdão depois do sermão e em seguida vem: “Quem sou?”
Alma buscando inspiração, desesperada por salvação.

Licença Creative Commons
Velho eu de Kauê olah Lopes está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.


Veja também:

O ilusionista
Empatia? só se for pra burguesia!

Publicado por Kaue olah Lopes

Compositor /Poeta 🦋✍🏼 ♿️22 anos 📚Jornalismo

Um comentário em “Velho eu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: